Estou vivo

Quando eu era mais novo (entre 14 e 18 anos) costumava ser muito abordado por assaltantes. Foi na fase em que eu tinha mudado para uma escola um pouco mais longe (1 km de casa). Eu era menorzinho nessa época, tinha 1,55m e um super óculos gigante de armação preta (hoje é legal usar, antes era coisa de nerdão). Foi uma fase bem ruim, já fui assaltado do outro lado da rua de casa, na esquina de casa, perto do Shopping, dentro do ônibus. A parte menos ruim é que eu não tinha muita coisa para roubar: era passe de ônibus, bilhete de metrô, 5 reais, além de dois relógios.

Hoje deu uma melhorada, só fui assaltado uma vez, se não me engano. Foi um estilo arrastão dentro da lanchonete, onde levaram meu celular e o da minha esposa, mais uns 20 reais. Esse já foi a mão armada, com pistola de mira a laser (parecia de brinquedo, mas quem sou eu para fazer algo?) e tudo.

Meus pais já foram reféns em um sequestro relâmpago também. Foram levados até a periferia no meio do matagal, com arma nas costas. Os bandidos foram sozinhos com o cartão e as senhas para sacar o dinheiro e se tudo desse errado, foram ameaçados que seriam mortos por ali mesmo.

Toda essa violência está ficando muito próxima, fico bem preocupado às vezes. Mas não dá para ficar trancado em casa, temos que fazer nossas coisas… Por enquanto, todos estamos bem. Espero que todos morram de morte morrida e não de morte matada.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s